segunda-feira, 16 de abril de 2012

As novas cidades de São Paulo

Artigo recente de Daniel de Bonis sobre a situação dos moradores em favelas e o que esta acontecendo em São Paulo nestes últimos tempos.

Acesse seu blog Política & Políticas para ler o artigo!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

2012

Fonte: desconhecida, mas pode ter saído do porra arquiteto!

Dando as boas vindas às turmas de 2012 publico esta imagem que ha muito circulou pela rede e que eu deixo como reflexão para quem inicia seus estudos na área da habitação coletiva.

Afinal para quem projeta o arquiteto? Ele deve projetar orientado para o presente ou para o passado? E o futuro?

Qual o significado desta arquitetura (da imagem acima) em relação à sociedade contemporânea? e aos novos modos de vida? e as mudanças tecnológicas? qual a importância do lugar e da relação que se estabelece com ele?

O arquiteto não é um realizador de sonhos, nem construtor de idéias alheias. O arquiteto é um profissional que projeta para o homem do seu tempo, investigando o passado e olhando para o futuro.

Vamos lá pessoal exercitar a crítica e valorizar a nossa profissão!

Outra dica legal é conhecer o site de humor, deboche e crítica (ácida) sobre a profissão do pessoal do ArqBacana o blog PORRA ARQUITETO! vai lá!


segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Exposição UNIP Campinas


Exposição de maquetes dos projetos desenvolvidos ao longo do segundo semestre de 2011.

Equipe

Equipe Leny e Rodrigo Gotardo.

Equipe Claudia Svolanek e Juliana Baptista.

Equipe Debora Fernandes e Natália Gaspar.

Equipe Caio Ghizi e Camila Vidotti.

Equipe Andressa Bravo e Bruno Bridi.


Equipe Odair e Gilson.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Nagakin tem exposição no museu Mori de Tokyo!

Em cartaz no Mori Art Museum até 15 de Janeiro de 2012 a mostra "Metabolism - The city of the future - dreams and visions of reconstruction in postwar and presente-day japan" apresenta, entre outros, o projeto das torres Nagakin de Kisho Kurokawa.

Na exposição foi montada uma réplica da cápsula de 2,3 x 3,8 x 2,1 que pode ser visitada. No projeto, de 1972, 140 cápsulas de concreto pré-fabricadas foram acopladas a duas torres de circulação com variadas possibilidades de arranjos.

Confira matéria completa no boletim do designboom desta semana!

Torres Nagakin. Fonte: designboom, 2011.

Cartaz do movimento Metabolista, 1972. Fonte: designboom, 2011.

Interior da cápsula. Fonte: designboom, 2011.

Interior da cápsula. Fonte: designboom, 2011.

Em cartaz no Mori Art Museum até 15 de Janeiro de 2012 a mostra "Metabolism - The city of the future - dreams and visions of reconstruction in postwar and presente-day japan" apresenta, entre outros, o projeto das torres Nagakin de Kisho Kurokawa.

Na exposição foi montada uma réplica da cápsula de 2,3 x 3,8 x 2,1 que pode ser visitada. No projeto, de 1972, 140 cápsulas de concreto pré-fabricadas foram acopladas a duas torres de circulação com variadas possibilidades de arranjos.

Confira matéria completa no boletim do designboom desta semana!



segunda-feira, 17 de outubro de 2011

BBVH | Arquitetos holandeses


Villa Ypenburg III, Haia. Fonte: Contemporist, 2011.

Siga o link pra conhecer o trabalho do grupo holandês BBVH que tem uma área só de trabalhos multimídia voltados para todo tipo de situação relacionada à área de arquitetura, construção, desenho, etc.

Eles tem uma produção bem variada mas voltam-se bastante para a habitação coletiva em série e privada, sempre enfatizando a materialidade e respeitando a inserção e a escala urbanas.

No site há um link para baixar o "small portfolio" que é lindo!! Vai lá!

domingo, 9 de outubro de 2011

Projeto milimétrico transforma espaço!

Fonte: video, 2011.


O apartamento do jovem francês constitui-se de um pequeno cômodo de 24 m2 com algumas poucas aberturas e uma varanda. Mas com um projeto que previu a ocupação de cada milímetro do espaço ele o transformou numa agradável moradia onde também cozinha e recebe seus amigos para um almoço de domingo.


Assista ao vídeo e tire suas próprias conclusões, eu gostei muito!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Maquetes de estudo Unip Norte

Na última 2a. feira (26/09/2011) realizamos a apresentação dos projetos através das maquetes de estudo (escala 1:250) e as discussões em torno do partido foram bem proveitosas.

Alguns grupos posicionaram-se claramente favoráveis à integração com a área da Estação Ciência e Tendal da Lapa promovendo uma franca ligação entre estes espaços, enquanto outros procuraram valorizar mais os espaços do convívio habitacional na Rua Quaraím e Rua Constança.

Um ponto recorrente foi a valorização da esquina entre a Rua Guaicurus x Rua Constança e o alargamento da calçada da Rua Guaicurus com o intuito de celebrar o convívio junto ao comercio e favorecer o acesso ao espaço cultural Tendal da Lapa.

Outra discussão importante foi a solução dada às lâminas em relação à orientação solar (o norte aponta para a via férrea junto à Rua Quaraim: alguns propuseram lâminas esbeltas com unidades habitacionais voltadas prioritariamente para esta via.

Apenas uma dupla propôs verticalizar uma porcentagem dos volumes e foram expressivas as soluções que com apenas 7 pavimentos (térreo duplo + 5 pavimentos) geraram espaços com potencial qualidade para o convívio habitacional.

Equipe William e Luciana. Modelo improvisado sobre desenho.

Equipe Aline e

Equipe Marcus e Higor.

Equipe Camila e Rafaela Medeiros.

Equipe: Márcio e Diogo.

Equipe:

Equipe: Mário Moori.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Técnicas de Construção Ilustradas

Ilustração da página 5-46: execução de paredes de concreto maciças. Fonte: Google Books, 2011.

Encontra-se disponível para visualização no Google Books o excelente livro de Francis Ching e Cassandra Adams "Técnicas de Construção Ilustradas", um manual onde é possível conhecer em detalhes várias técnicas construtivas e o comportamento entre as técnicas e os materiais.

É importante ressaltar que trata-se de uma publicação americana portanto não aplicável na íntegra à algumas de nossas soluções e materiais mas todas apresentadsa de forma bem universal. Nas edições anteriores a 2010 as dimensões estão em pés e polegadas (mas nada que comprometa a utilidade do livro).

Conheçam e se for possível adquiram o livro! Será muito útil em toda a prática profissional! À venda na Editora Bookman - Grupo a.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Área de projeto em São Paulo.


Fonte: Google Maps, 2011.

O distrito da Lapa, de formação fabril, apresenta rica oferta de infra-estrutura, farta rede de transportes públicos e equipamentos culturais (SESC Pompéia, Espaço Cultural Tendal da Lapa, Estação Ciência), além de ter caráter residencial.

A área escolhida para a implantação do projeto (2o. semestre de 2011) possui habitações unifamiliares e alguns galpões sub-utilizados e será totalmente liberada para a realização do projeto.

Na imagem as estrelas vermelhas fazem referência aos equipamentos culturais ao redor da área de trabalho: SENAC Scipião e Faustolo, Estação Ciência, Espaço Cultural Tendal da Lapa e um novo Poupa Tempo em construção na Rua Guaicurus.

Espera-se questionar com o exercício a ampliação da densidade habitacional através de um desenho que considere as características e peculiaridades do local, assim como as relações de vizinhança, uso e volumetria que o conjunto poderá estabelecer com o entorno e suas pré-existências.

Os índices urbanísticos fornecidos para o projeto são: TO=60%, CA=4, 20% de área permeável e densidade habitacional de 800 hab/ha.

Um bom projeto a todos!

Profa. Cláudia

PS. Aproveitem a oportunidade da visita ao blog para conhecer o projeto da Vila Marco Aurélio (Piratininga Arquitetos Associados), um conjunto com 11 habitações e uma solução de implantação e volumetria bastante peculiar.

domingo, 28 de agosto de 2011

Área de projeto em Campinas.

Google, 2011.

Google, 2011.

Em Campinas iremos projetar numa área no bairro Bonfim, junto às modificações do sistema viário causadas pela implantação da Nova Rodoviária e da transformação latente de antigas áreas fabris e/ou comerciais ociosas. Atualmente é possível perceber nas imediações da Av. Gov. Pedro de Toledo vários edifícios habitacionais sendo construídos a todo vapor.

REPENSANDO O ESPAÇO HABITACIONAL NA METRÓPOLE

A fim que questionar o modelo saturado da fórmula do “edifício isolado no lote”, o exercício propõe a elaboração de um desenho possível para o arranjo habitacional de alta densidade no bairro Bonfim (quadra especificada abaixo). O bairro de característica mista apresenta rica oferta de infra-estrutura, além de estar bem próximo da região central e de um SESC (equipamento esportivo e cultural). A área escolhida para a implantação possui galpões e nenhuma habitação e será totalmente liberada para a realização do projeto. Ao norte situa-se um galpão em bom estado (já utilizado como armazém da estação de trens da Cia. Sorocabana) que será mantido e deverá de alguma forma ser incorporado ao plano urbanístico habitacional (usos como habitação, equipamento coletivo ou comercio).

Espera-se que a definição da nova estrutura edificatória e funcional (habitação, equipamentos, espaços livres etc.) constitua-se como uma reflexão frente à ação fortemente especulativa praticada pelo mercado permitindo estabelecer novas relações entre o espaço construído, os espaços livres de uso público e a forma urbana.

Observar os índices estatísticos e as informações fornecidas com o enunciado do projeto. Cada dupla de projeto deverá elaborar sua maquete incluindo as curvas de nivel e principais edifícios do entorno.


70 anos de habitação social em São Paulo!



Fonte: TV Estadao

domingo, 8 de maio de 2011

Orientações para elaboração do edifício (Campinas e Norte).

A partir de uma folha A3 (297mmx420mm) organizar o arruamento, as calçadas e o espaço público na escala 1:200 conforme o desenho:







Premissas para a elaboração do edifício:

-combinar de 40 (mínimo) a 60 (máximo) unidades habitacionais para gerar um ou mais edifícios (volumes) considerando os aspectos positivos de seu projeto de referência, a posição solar e as características (e complexidades) do terreno.


-posicionar pelo menos 1/3 das unidades habitacionais no térreo (que devem relacionar-se com ele).

-destinar até 500m² de área construída coberta para uso comum (junto ao edifício, em qualquer pavimento e se necessário distribuídos nos volumes propostos).

-destinar 480m² de área permeável (sem pavimentação, áreas ajardinadas).

-os alinhamentos, recuos e alturas são livres (garantir ventilação e iluminação adequadas).

-orientar a implantação visando a criação de espaços públicos e semi-públicos qualificados.

Artigo para leitura: "Habitação coletiva, verticalidade e cidade. Modernidade sem estilo" , Leandro Medrano, 2005.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Relatório de Fixação | alunos

Na data de devolução dos cadernos de projeto (final do primeiro bimestre, meados de Abril) organizamos uma atividade em classe para que os alunos (em grupos) avaliassem os projetos dos seus colegas, e assim também pudessem conhecer em maior profundidade outros edifícios de habitação coletiva.

RELATÓRIO ELABORADO EM 27/04/2011 pelos alunos: Aline Freitas de Moraes, Camila Brenelli de Paiva Vidotti, Danielle C. Sanches, Fernanda André Navarro, Juliana Ap. Baptista, Michele Araújo, Mônica Cristina de Brito e Rodrigo Gothardo (UNIP Campinas, matutino).

1. Nome do projeto, local, autor(es) e ano da obra ou projeto:

- Conjunto Habitacional Yaiti / Bogotá (capital da Colômbia) / Felipe Gonzáles-Pacheco e Alberto Aranda Lozano / 2008

- Edifício Esther / São Paulo – SP / Vital Brazil e Adhemar Marinho / 1936 – 1938

- Edifício Nações Unidas / São Paulo – SP / Abelardo de Souza / 1952 – 1955

- Habitat 67 / Montreal (Canadá) / Moshe Safdie / 1964-1967

- Casa Rustici / Milão (Itália) / Giusepe Terragni / 1933 – 1935

- Residencial Vila dos Idosos / São Paulo – SP / Hector Vigliecca, Luciene Quel, Ruben Otero e Ronald Werner Fiedler / 2003 - 2007

2. Selecione dois projetos cuja relação entre cheios e vazios na implantação, assim como de espaços semi públicos seja equilibrada:

- O conjunto Yaiti e a Casa Rustici apresentam cheios e vazios equilibrados e espaços semi-públicos amplos entre o privado e o público.

3. Selecione três projetos que apresentem soluções de circulação diferenciadas (nomear tais circulações e justificar a sua utilização):

- Edifício Nações Unidas: apresenta elevadores em cilindros independentes (circulação vertical e enclausurada), escadas (circulação vertical e enclausurada) e circulação horizontal curta, que são os acessos às unidades. Os elevadores dão acesso a cada 2 unidades.

- Casa Rustici: apresenta circulação horizontal e linear aberta, vertical pontual aberta, vertical pontual e fechada e horizontal linear fechada. As circulações horizontais atendem os 2 blocos e dão acesso às unidades, as circulações verticais atendem todos os andares.

- Vila dos Idosos: circulação vertical nas extremidades que dão acesso aos andares, compostos de circulação linear (grandes corredores lineares e abertos, que dão acesso às unidades).

4. Em relação à volumetria do edifício, identifique aqueles que possuem um volume e aqueles que possuem mais de um volume. Elabore um croqui de cada projeto.

- Projetos com 1 volume: Edifício Esther.


- Projeto com 2 ou mais volumes: Vila dos Idosos, Conjunto Residencial Yaiti, Edifício Nações Unidas, Casa Rustici e Habitat 67.

Vila dos Idosos. Dois blocos em "L" articulados.


Conjunto habitacional Yaíti. Cinco blocos conformando espaços de uso público e semi-público.

Ed. Nações Unidas, dois volumes justapostos sobre um volume comercial (base).


Edifício Rustici. Dois volumes articulados através de um páteo central por onde ocorre a circulação (não se percebe pelo croqui).


Habitat 67, vários "módulos" empilhados conformando um grande volume permeável.

5. Identificar a variação de áreas das tipologias selecionadas por projeto e as complementares propostas (atribuir o valor P, M e G para as respectivas áreas):

- Conjunto Residencial Yaiti:

tipologia M = 60 m² (ref.)

tipologia P = 48 m²

tipologia G = 130 m²

- Edifício Esther:

tipologia P = 48 m² (ref.)

tipologia M = 65 m²

tipologia G = 80 m²

- Edifício Nações Unidas:

tipologia G = 104 m² (ref.)

tipologia P = 60,5 m²

tipologia M = 72 m²

- Habitat 67:

tipologia G = 160 m²(ref.)

tipologia P = 38 m²

tipologia M = 47 m²

- Casa Rustici:

tipologia G = 125 m²(ref.)

tipologia P = 63 m²

tipologia M = 76 m²

- Vila dos Idosos:

tipologia P = 43 m²(ref.)

tipologia P = 43 m²

tipologia G = 84 m²

6. Separar as maquetes de estudo em dois grupos:

a) Maquetes cuja modulação está tão bem inserida num módulo construtivo que não apresentam outras possibilidades de combinação, resolvem-se plenamente como conjunto: Casa Rustici, Edifício Esther e Edifício Nações Unidas.



Ed. Nações Unidas: maquete da combinação entre as três unidades (referência e complementares). Em vermelho a circulação (vertical e horizontal.

b) Maquetes cuja modulação permite variadas possibilidades de combinação:Vila dos Idosos, Yaiti, Habitat 67 (imagem).


Habitat 67: maquete da combinação entre as três unidades (referência e complementares).

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Mais do BIG!

8H - The 8-House from BIG on Vimeo.


Apresentação - sensacional - do projeto The 8 House (complexo de habitações, comercio e serviços em Copenhagen) onde ele mostra todas as decisões de projeto que conduzem àquela forma (a forma como resultado de um pensamento, da solução de um problema) utilizando de forma eficiente recursos multimídia!

A cidade por Bjarke Ingels



O escritório dinamarques Bjarke Ingels Group (BIG) é encabeçado pelo Bjarke Ingels que neste mês deu uma entrevista ao [arquiteto] Guto Requena no programa Nos Trinques do canal a cabo GNT (NET canal 41). Assista e veja o que o arquiteto tem a dizer sobre a importância de desenharmos a cidade através de edifícios que valorizem o convívio e as formas de utilizar o espaço público!

Aproveite e conheça também alguns projetos do grupo e suas criativas formas de apresentação!

Veja no melhor_lugar um pouco mais sobre as origens do BIG.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Orientações para realizar a análise dos conjuntos habitacionais para elaboração do relatório bimestral (produto de entrega UNIP Norte)

I – Implantação / volumetria – comentar posição geográfica.

Identificar cheios e vazios - delimitar com cor escura (preto, marrom).

Definir espaços: público (verde), privado(vermelho) e semi-público (amarelo) na planta do térreo: delimitar áreas com as cores. Comentar.

Nomear as características / qualidades dos espaços vazios identificados (espaço amplo e convidativo, fechado, opressor, iluminado, transmite insegurança, propicia encontros, etc).

Elaborar dois croquis do volume do edifício / conjunto.


II – Combinação tipológica – comentar posição em relação ao norte.

Qualificar e identificar o padrão de combinação das unidades num pavimento: gráfico com cores e legendas + texto explicativo.

Dimensões (aproximadass ) das UH (unidades habitacionais).

Quantificar o número de tipos e a quantidade total de unidades.

Relação das UH com a circulação horizontal e vertical – gráfico com cores e legendas.


III – Circulação / modulação.

Circulação Horizontal – identificar na cor laranja.

Circulação Vertical (escadas e elevadores) – identificar na cor vermelha.

Identificar e nomear os tipos – enclausurada ou pontual, linear aberta, linear fechada, mista, etc.

Identificar uma possível malha estrutural / lógica de organização construtiva (tentar dimensionar o módulo estrutural) – traçar linhas escuras identificando os eixos construtivos.

Anotar a dimensão do módulo (distância entre os elementos estruturais).


IV – Unidade Habitacional.

Analisar a UH escolhida.

Relação com a circulação horizontal e demais unidades do pavimento – elaborar gráfico com cores identificando tal relação.

Acesso à UH / fluxos dentro da unidade e setorização do programa – identificar e indicar fluxo com setas.

Programa / área da unidade – listar o programa (2 dormitórios, sala, cozinha, banheiro, terraço e cozinha p. ex.) e anotar a área da unidade analisada.

Áreas de convívio social /delimitar na cor rosa.

Áreas de repouso, isolamento – delimitar em roxo.

Áreas de higiene e preparo de alimentos (úmidas) - delimitar na cor azul.

Comentar a solução da planta.

Unfolding Apartment | Nova York

Infográficos mostram uso do espaço através do mobiliário.

Móvel fechado amplia o espaço e promove usos diferentes (1),

transforma-se em segundos num espaço para dormir (2),


que pode ser novamente removido (3).

O projeto de reforma para o pequeno apartamento de 40 m2 em Nova York pedia a criação de áreas de trabalho e lazer mas não dispensava o programa mínimo da moradia. A solução foi a criação de uma peça de mobiliário dinâmico e móvel que multiplica usos e espaços da unidade.

Projeto publicado integralmente no portal Architizer. Vai lá!

segunda-feira, 28 de março de 2011

Monitora Evelyn | Campus Norte


Evelyn: monitora campus Norte 2011.


Gostaría de apresentar ao pessoal do campus Norte a nossa monitora Evelyn Coutinho Alves.

Ela é aluna do 7o. semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo da UNIP e quando fez a disciplina do 2o. ano (em 2009) teve um excelente rendimento, fato que a fez aprofundar seu interesse pela área da habitação coletiva. Neste ano por iniciativa e interesse pessoal nos procurou e manifestou o seu desejo de ser monitora da disciplina.

Bem vinda Evelyn, esperamos que você possa nos auxiliar em classe, com as postagens do blog e com demais atividades da disciplina. E que os seus objetivos com a monitoria também sejam alcançados!

A Evelyn estará disponível para assessorar os alunos:

- toda segunda e quarta das 18:20 às 19:20
- quinzenalmente das 18:20 às 22:55
- toda sexta das 18:20 às 21:20

domingo, 20 de março de 2011

The Red Apple | KCAP

Modelo de estudo em madeira balsa. Fonte: archiweb, 2011.

The red apple compõe o perfil da cidade. Fonte: archiweb, 2011.

Junto ao canal apresenta-se mais baixo em harmonia com o entorno. Fonte: archiweb, 2011.

Imagem aérea do conjunto em harmonia com o entorno. Fonte: archiweb, 2011.

Elevação. Fonte: archiweb, 2011.

Modelo de estudo onde se percebe claramente a volumetria. Fonte: archiweb, 2011.
Planta do pavimento térreo com acessos, circulação e espaços comerciais. Fonte: archiweb, 2011.

Planta "tipo" da torre de habitações. Fonte: archiweb, 2011.

O Red Apple é projeto do escritório holandês KCAP (2002 - 2009) para um edifício multifuncional em Rotterdam que acomoda 231 UH, 3870 m2 de escritórios, 1580 m2 de comércio varejista + 340 vagas de estacionamento. A solução volumétrica é composta por uma base (comercio e serviços), um volume mais baixo (comercio e serviços) e uma torre (habitação) e responde muito bem à situação urbana da implantação: envolto pelo canal e arrematando uma esquina o volume mais baixo respeita o gabarito local; na outra face alinhado aos demais arranha-céus do entorno localiza-se a torre de 124 metros de altura.

Links úteis:






Fonte: Archiweb, 2010.

Rue de Meaux | Renzo Piano

Pátio interno do conjunto da Rue de Meaux de Renzo Piano.

O Edifício da Rue de Meaux apresenta um esquema com pátio intimamente relacionado com a escala e a proporção do entorno. Tem 220 unidades habitacionais entre apartamentos simples e duplex. Projeto de 1987-1991, 19o. distrito de Paris.

Acesse o site do arq. Renzo Piano e veja mais imagens e informações.


Implantação, norte para cima.

Elevação Rue de Meaux.

Corte.

Planta da UH de dois dormitórios.

Planta da UH duplex com 3 dormitórios.

As imagens dos desenhos foram retiradas do livro " Os mais importantes Conjuntos Habitacionais do séc. XX" de Hilary French. E a imagem do conjunto do site do arquiteto.